Top Menu

Se tem uma coisa que aprendi foi juntar os pontos. Você lembra daquele exercício infantil de ligar os pontos? Desde pequena eu fazia aquelas ligações numéricas no papel, e depois de alguns rabiscos, apareciam as figuras. Tenho certeza que isso me ajudou a descobri a matemática, mas, já percebi que algumas pessoas tem dificuldades para entender que 2 + 2 = 4.

As pessoas se perdem em contas simples nos dias de hoje. Não adianta você somar 11 + 1 e querer um resultado igual a 13. Planejar o futuro, definir suas ações, sempre tem a ver com matemática. Avalie o resultado que você deseja obter, e depois planeje como chegar lá.

Não seja uma pessoa irresponsável com a matemática da sua vida,  ponto de perder a chance de somar, e só subtrair. Não se arrisque a agir com , seu discurso, tem que acompanhar suas ações, não sendo assim, a conta não fechará.

Preste atenção como você resolve as suas dificuldades. Talvez, o resultado obtido esteja relacionado a operação matemática aplicada no assunto. As contas da primeira e segunda série, servem até hoje, na hora de comprar alguma coisa, a também para as decisões do dia a dia.

Não reclame de alguém se você calculou errado. Mas avalie antes se o resultado da operação se encaixa com o que você deseja. Atitudes responsáveis geram adultos saudáveis. E muitas vezes nossas irresponsabilidades causam dores que não podem ser apagadas como costumávamos fazer na escola quando a conta não estava certa.

Costumamos dizer que perdemos as oportunidades, mas, na verdade, o que acontece é que nós jogamos fora. Então, antes de mais nada, comece hoje mesmo a colocar no papel a conta da sua vida. Acrescente sinais de adição: +responsabilidade, +atenção, +cuidado, +envolvimento, +atitude, +motivação, +entrega, +amor, +tudo isso para sua vida! E não esqueça, quem põe os números é você!!!

Sobre o Autor(a)

mm

Lione Acácia, geminiana, apenas para constar, porque não me ligo nisso. Adoro moda, batata frita e gente de todo o tipo. Nasci perguntadeira e me especializei nisso, fazendo jornalismo. Adoro uma conversa solta, me inspiro em minhas análises do cotidiano, e faço o meu mundo baseado nos mundos de todo mundo. Não sou fútil, mas desconfio não ser útil!

Deixe uma mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Fechar