Top Menu

No culto do último domingo o pastor falou sobre como podemos ter esperança durante as dificuldades. Depois de ouvi-lo por alguns minutos, percebi a importância da fé na nossa vida, e imaginei, como sofrem, as pessoas que não a tem.

Por coincidência, hoje, estava lendo alguns sites e encontrei a confirmação científica sobre o que eu imaginava: uma pesquisa da Universidade de São Paulo (USP), mostrou que pacientes que têm fé, respondem melhor ao tratamento de doenças. Para o professor de geriatria da Faculdade de Medicina da USP, Wilson Jacob Filho, “A religião oferece suporte emocional e social em diversas circunstâncias da vida”

Não me espantei com tal afirmação, há algum tempo, já havia lido uma matéria parecida, sobre o maior estudo já realizado sobre a influência das emoções na saúde, da Escola de Saúde Pública da Universidade Harvard, nos Estados Unidos. Mostrando que a satisfação e felicidade diminuem os riscos de ataques cardíacos e acidentes vasculares cerebrais. Além disso, ter fé na vida faz bem para a imunidade, melhora a resposta a processos de quimioterapia ou radioterapia, por exemplo, e ainda pode ajudar a combater depressão, ansiedade e problemas de sono.

E não se espante porque outra matéria dizia que a fé reduz até o risco de morte por exemplo. Um trabalho do Instituto Dante Pazzanese, com quase 250 artigos de todo o mundo, concluiu que a prática regular de atividades religiosas – sejam elas quais forem – pode reduzir o risco de morte em 30%.

ter-fe-e-alem-de-ter-uma-religiao.html

Tudo isso porque ter uma religião promove bem-estar psicológico, menos pensamentos e comportamentos suicidas, menos consumo de álcool e drogas e um maior incentivo a hábitos saudáveis. O estudo mostrou ainda que a religião contribui também para reduzir a carga viral em pacientes com HIV, além de reduzir mortes por AVC e problemas cardíacos.

E olha que boa notícia!!! Acreditar em coisas boas não faz bem apenas para nós mesmo, mas para o próximo. Estudos mostram, inclusive, que os pacientes que recebem orações, mesmo sem saber, têm melhora no quadro de doenças em comparação aos que não recebem.

Se você pensa, que não sabe orar, pode meditar, fazer um exercício cerebral, como disse o pastor no último culto, “de troca de pensamentos”, trazendo conforto e tranqüilidade da mesma maneira.

Fica a dica! Acredite que tudo irá melhorar! Quem consegue mentalizar o bem mesmo quando as coisas vão mal e acredita que no fim tudo vai dar certo, vive melhor.

Sobre o Autor(a)

mm

Lione Acácia, geminiana, apenas para constar, porque não me ligo nisso. Adoro moda, batata frita e gente de todo o tipo. Nasci perguntadeira e me especializei nisso, fazendo jornalismo. Adoro uma conversa solta, me inspiro em minhas análises do cotidiano, e faço o meu mundo baseado nos mundos de todo mundo. Não sou fútil, mas desconfio não ser útil!

Deixe uma mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Fechar