Top Menu

Já estamos na segunda semana de 2016, e os desejos para início de ano continuam os mesmos: paz, saúde, um par perfeito além de muito dinheiro no bolso. Mas para começar o ano, vou focar no desejo de cinco entre quatro mulheres: encontrar o grande amor!

Estar com alguém que te faz bem é quase unanimidade, até entre os homens. Tem uns que valorizam mais e outros menos, mas a verdade é que dificilmente passamos uma vida inteira sozinhos. Mas as exigências são muitas, nos preocupamos tanto em receber, que nos esquecemos daquilo que precisamos oferecer ao outro.

Para se ter esse alguém vale preservar, cuidar, admirar e aceitar… Concordo que para fazer bem precisa ser sem cobrança, sem exigências e sem expectativas. Acredito no caminho da admiração, a aceitação e não no controle. Mas os pares sempre carregam diferenças entre si.

Os modos de vidas diferentes, caminhos e sonhos distintos, pode se transformar em um verdadeiro desafio, mas estamos aí! Vencer desafios é sempre uma boa pedida para um ótimo ano. Se surpreender com o novo, também é animador para quem está recomeçando.

O que eu desejo para os novos amores de 2016, é que todos queiram ir mais longe. Que reconheçam as qualidades alheias, talvez a complexidade também. Não veja nada como defeito, mas tente transforma as diversidades em motivação, perfeita para quebrar as regras e avançar nos seus próprios limites. Apaixone-se por isso! Viva o diferente!

Só entenda uma coisa, não sofra, ou semplesmente não demonstre, nem mesmo para você, o seu sofrimento. Não se permita perder o jogo, tente olhar com carinho as circunstâncias, crie suas próprias jogadas e estabeleça sua meta: Ser feliz!

Adapte-se, inclusive a você mesma, e sinta que o seu grande amor é tudo aquilo que você conquista, mesmo que seja você!

Sobre o Autor(a)

mm

Lione Acácia, geminiana, apenas para constar, porque não me ligo nisso. Adoro moda, batata frita e gente de todo o tipo. Nasci perguntadeira e me especializei nisso, fazendo jornalismo. Adoro uma conversa solta, me inspiro em minhas análises do cotidiano, e faço o meu mundo baseado nos mundos de todo mundo. Não sou fútil, mas desconfio não ser útil!

Deixe uma mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Fechar